Por Redação em 31/08/2020

De acordo com estudos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o consumo de energia no Mercado Livre de Energia cresceu 4% na primeira semana de agosto, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Confira esse e outros destaques do mês no InfoEnergia ENGIE.

Sumário

  1. Destaques do Mês
  2. PLD (Preço no Mercado de Curto Prazo)
  3. Energia Natural Afluente (ENA)
  4. Energia Armazenada
  5. Geração Mensal de Energia
  6. Indicadores Econômicos

Destaques do Mês

Mercado Livre de Energia apresenta alta de 4% no consumo na primeira semana de agosto

De acordo com estudos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o consumo de energia no Mercado Livre de Energia cresceu 4% na primeira semana de agosto, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Já no mercado regulado, o consumo caiu 4%, resultando em uma retração de 1,3% no Sistema Interligado Nacional (SIN).

Vale reforçar que estes resultados ainda poderão sofrer alterações, visto que nem todos os dados foram contabilizados. A Câmara também afirma que, historicamente, a primeira semana do mês possui índices de coleta mais baixo, e que os percentuais não consideram os expurgos de migrações entre os ambientes.

As informações levam em conta o consumo total do mercado cativo, em que o consumidor compra energia diretamente das distribuidoras, e do livre, que permite a escolha do fornecedor e a negociação de condições contratuais. Além disso, o estudo não calcula os dados de Roraima, único estado não interligado ao SIN.

Ainda segundo a CCEE, ao analisar o consumo de energia por ramo de atividade, expurgados os efeitos de migrações para o Mercado Livre de Energia, os setores com quedas mais expressivas em agosto, na comparação anual, foram os de serviços (-22%), veículos (-14%) e transporte (-13%). O segmento têxtil, que chegou a ter quedas de dois dígitos de consumo, fechou a primeira semana do mês com retração de 4%. Cinco setores apresentaram alta na comparação anual: bebidas (12%), minerais não-metálicos (8%), saneamento (5%), alimentícios (4%) e metalurgia (3%).

Geração de energia eólica no Nordeste continua registrando bons resultados e região bate novo recorde

O monitoramento realizado no sistema elétrico brasileiro, feito pelo ONS, que em agosto completou 22 anos de existência, continua apontando recordes na geração de energia eólica no Nordeste. Os sistemas registraram, no dia 22, às 22h, novo pico de geração, chegando desta vez a 10.169 MW, com um fator de capacidade de 81%.

O montante foi suficiente para abastecer naquele minuto 97% da demanda de toda a região Nordeste, ou seja, mais de 18 milhões de domicílios. O recorde anterior era de 10.121 MW, no dia 20 de junho de 2020. Historicamente, agosto costuma ser um mês de ventos fortes.

Novo recorde de demanda na região Norte foi alcançado após três anos

A região Norte registrou recorde de demanda máxima no dia 19 de agosto, após mais de três anos. A demanda por energia na região, observada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), atingiu 6.778 MW e foi puxada, principalmente, pela retomada de carga de consumidores livres na Rede Básica.

Aplicativo da CCEE contempla medição na palma da mão

A CCEE desenvolveu nos últimos meses, mais uma funcionalidade para o seu aplicativo. Foi adicionada uma tela de monitoramento da medição, possibilitando o acesso fora do escritório, o que auxilia na resolução de falhas no campo.

De acordo com o gerente de Engenharia & Operação da Medição da Câmara, a agilidade na gestão da medição sem o uso de uma central de atendimento é uma das vantagens observadas já que a celeridade da informação traz um ganho operacional tanto para os agentes quanto para a CCEE.

Ao longo do mês de agosto, foi possível fazer uma intervenção para corrigir e recuperar a coleta de dados. A melhoria foi idealizada há um ano e veio após pesquisa com os agentes, que sinalizaram desejo do aprimoramento na parte da medição. Uma equipe multidisciplinar de tecnologia e negócios da CCEE desenvolveu a funcionalidade, através de dados que já existiam na base. O agente vê as inconsistências em seus pontos ou medidores e pode receber alertas em caso de novas incoerências. Em junho, o App CCEE indicou a existência de dados inconsistentes para 5.722 medidores, de 493 agentes.

PLD (Preço no Mercado de Curto Prazo)

O PLD valora a energia comercializada no mercado de curto prazo, sendo determinado semanalmente para cada patamar de carga e submercado, baseado no Custo Marginal da Operação (CMO), limitado aos valores máximos e mínimos definidos pela Aneel.

O PLD do submercado Sudeste/Centro-Oeste fechou a quarta semana de agosto no valor de R$ 59,4/MWh.

 Fonte: CCEE

No gráfico abaixo são apresentadas as séries históricas do PLD e do CMO nos últimos 18 meses. De forma geral, observa-se que as duas séries históricas apresentam o mesmo perfil, exceto para os meses em que o CMO é mais elevado do que o PLD máximo, sendo a diferença convertida em encargos. Na quarta semana de agosto o CMO apresentou o valor de R$54,81/MWh para os submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte e foi para R$50,86/MWh no submercado Nordeste.

 Fonte: CCEE e ONS

Energia Natural Afluente (ENA)

O custo da operação do sistema brasileiro leva em conta as previsões de vazão mensal ou Energia Natural Afluente (ENA), revisada semanalmente pelo ONS.

A previsão de ENA realizada no mês de agosto apresenta comportamento similar a previsão realizada no mês anterior, com exceção da baixa de expectativa para o mês de setembro e outubro.

Fonte: CCEE

Energia Armazenada

Em relação à energia armazenada do SIN, no gráfico abaixo são apresentados os níveis de armazenamento dos anos de 2019 e 2020 e a previsão de armazenamento da CCEE. Além disso, são apresentados níveis mínimos e máximos de armazenamento e a média histórica do período de 2000 a 2019.

A previsão da CCEE para a energia armazenada no ano de 2020, representada pela linha vermelha pontilhada mostra-se acima dos valores concretizados no ano anterior (linha verde) durante todos os meses do ano e se mantém em torno da média histórica. O nível de armazenamento do SIN fechou o mês de julho em 56,5% de acordo com os dados disponibilizados pelo ONS.

Fonte: InfoPLD da CCEE.

Geração Mensal de Energia

As principais fontes de energia no Brasil são hidrelétricas, seguida pelas termelétricas e eólicas. No gráfico abaixo estão apresentados os volumes de energia gerados na primeira quinzena do mês de agosto de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado. Observa-se que a geração Hidráulica apresentou crescimento de 12,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, já a fonte Térmica houve uma queda de 37,1%. As gerações Eólica e Fotovoltaica apresentaram crescimento de 6,5% e 26,9% respectivamente.

Fonte: Infomercado CCEE

Indicadores Econômicos

Nos gráficos abaixo observam-se as expectativas dos indicadores econômicos IPCA, IGP-M, Crescimento do PIB e Produção Industrial para 2020 e 2021, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central.

Para 2020, a expectativa da mediana do IPCA caiu de 1,72% para 1,71% entre a última semana de agosto de 2020 e a última semana de julho de 2020. Para o ano de 2021, a expectativa é de 3,00%

Para agosto de 2020, a expectativa da mediana do IGP-M é de 9,36%, para 2021 a expectativa subiu para 4,08%.

A expectativa de crescimento do PIB foi dos -5,95% de julho para -5,46% na quarta semana de agosto. Para 2021 se manteve em 3,50%

A expectativa de Produção Industrial para o ano vigente fechou em -7,68%, já para 2021 a expectativa subiu para 5,42%.

 Fonte: Boletim Focus do Banco Central do Brasil

As análises aqui apresentadas têm a finalidade única de informação e não devem ser tomadas como uma recomendação, oferta, aconselhamento ou solicitação de compra, ou venda de energia. A ENGIE não se responsabiliza pela utilização destas informações, nem tampouco pela sua exatidão, precisão ou completude. A decisão de compra ou venda de energia é de sua exclusiva responsabilidade e não deverá se basear no conteúdo deste Boletim.