Por Redação em 16/10/2020

Algumas atividades não conseguem escapar das emissões de carbono, como os aeroportos por exemplo. Afinal, ainda não existem frotas de aviões elétricos de passageiros ou movidos a hidrogênio. No entanto, há outras áreas dos aeroportos em que é possível melhorar as emissões e a eficiência no consumo de energia. Veja abaixo algumas soluções de descarbonização e gestão da energia da ENGIE para os aeroportos.

Eficiência energética

Aeroportos, ou qualquer outro tipo de empresa, que queira ter práticas mais sustentáveis podem buscar uma maior eficiência energética. A ENGIE oferece soluções na área com projetos que se adaptam ao negócio para um consumo mais eficiente de energia. E o processo fica a cargo da própria ENGIE, que cuida da concepção, auditorias técnicas e outros processos até a instalação de fato dos equipamentos.

Energia renovável para aeroportos

Uma forma de reduzir as emissões é buscar fontes renováveis para a energia das atividades do aeroporto. Pensando nisso, a Inframerica, que gere o aeroporto de Brasília, firmou uma parceria com a ENGIE. Esta vai fornecer energia produzida em seus parques de fontes renováveis, como solar e eólica.

Energia limpa para aviões no pátio

Quando um avião está parado no pátio do aeroporto aguardando o embarque de passageiros, seu ar-condicionado continua funcionando, para garantir o conforto de quem entra. No entanto, isso acarreta um gasto de energia. No aeroporto de Brasília, esta energia saía de um gerador a diesel, gerando emissões significativas de carbono. Mas uma parceria da ENGIE com o aeroporto de Brasília fez com que essa energia passasse a ser de fontes renováveis.

Com a adesão das principais aéreas à novidade, espera-se uma redução de cerca de 20 mil toneladas de CO2 por ano no terminal. Isso equivale ao plantio de mais de 120 mil árvores, explica a ENGIE.

Gerenciamento da energia

Gerenciar a energia é uma das principais soluções para reduzir o consumo e, portanto, os custos. O processo vem da união de inovação, tecnologia, indústria 4.0 e digitalização. Este processo alia conectividade, agilidade, precisão, economia, eficiência e sustentabilidade no uso da energia.

Para isso, o consumo é monitorado pela internet. E os profissionais que cuidam deste tipo de sistema devem acompanhar o consumo para fazer uma análise que permita baixar os custos. Um desses sistemas é o Follow Energy, da ENGIE, que gera, por exemplo, uma redução de até 30% no gasto de energia.

Gestão de facility

Também é possível fazer uma gestão mais geral da facility em questão.  O chamado Facility Management é a nova visão sobre a gerência dos serviços gerais. Mas agora ela é vista a partir de um ponto de vista estratégico. Com essas soluções, há a otimização da gestão dos serviços que garantem que a empresa funcione. Entram na lista higiene, conservação, segurança e energia.

No caso da energia, este tipo de solução permite, por exemplo, a manutenção preventiva de instalações elétricas, evitando curto circuitos e riscos de incêndio. Além disso, a manutenção periódica, com troca de peças com avarias e atividades preventivas, por exemplo, aumenta também a eficiência no consumo de energia.

Aeroportos

No Brasil, a ENGIE Energia oferece serviços de energia renovável em aeroportos. Um dos projetos pioneiros no país foi o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), que fechou a compra de energia solar e de um sistema de reutilização da água de chuva no sistema de ar condicionado.

Em dezembro de 2019, a ENGIE e a Inframerica, concessionária do Aeroporto de Brasília, firmaram parceria para o fornecimento de energia de fontes renováveis a aviões estacionados no terminal. A parceria também estabelece que, a partir de 2022, todo o aeroporto passará a usar energia renovável.

A ENGIE também fornece energia para vários aeroportos brasileiros por meio de contratos de compra e venda de energia fechados no Ambiente de Contratação Livre.

Saiba mais