Por Redação em 05/10/2020

A partir do próximo ano, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) passará a ser calculado para cada hora e não mais para a semana seguinte, como já acontece em diversos países desenvolvidos e que representa um grande avanço nesses mercados. Como ele é usado para definir o valor da energia no mercado de curto prazo, a mudança no PLD traz reflexos para os grandes consumidores de energia. Veja abaixo algumas das causas para adoção do novo preço horário e os efeitos esperados com a nova forma de cálculo.

Reflete melhor o real valor da energia

Uma das principais causas da adoção da nova forma de cálculo é a melhor precificação da energia. Por levar em conta a situação do consumo e da geração de energia naquele momento, o PLD reflete melhor o valor que deve ser pago. Assim, em momentos de maior folga no sistema, a eletricidade fica mais barata, enquanto naqueles em que há muito consumo em relação à produção, o preço sobe.

PLD Horário viabiliza as hidrelétricas reversíveis

O preço horário vai viabilizar a construção de usinas hidrelétricas reversíveis. São usinas que têm dois reservatórios em elevações diferentes. Durante a noite, quando a energia é mais barata, a usina compra energia do sistema para bombear a água para o reservatório mais elevado. E nos horários de pico de preço, a mesma água produz energia, aproveitando a queda entre os dois reservatórios. Segundo o diretor de Estratégia, Comunicação e Responsabilidade Social Corporativa da ENGIE, Gil Maranhão, as hidrelétricas reversíveis são uma fonte limpa e renovável interessante, uma vez que podem ser construídas mais perto dos centros de carga, e com uma área alagada bem restrita.

Impactos nos horários de consumo

Como existem essas faixas nas quais o valor é mais baixo, outro dos possíveis impactos do PLD horário é a mudança no consumo de energia. Este pode ser flexibilizado em um esforço dos consumidores para tentar escapar dos horários com maior preço.

PLD horário acelera projetos de autogeração

Com o novo PLD, um dos efeitos esperados é que os projetos de autogeração e cogeração devem ganhar novo impulso. Isso porque os excedentes de geração serão precificados pelo PLD em cada hora. Assim, em caso de excedente em horários com PLD mais alto, os agentes geradores vão se beneficiar. Isso pode ser especialmente útil em momentos como fins de semana, por exemplo, quando os alguns autogeradores não têm consumo em função do regime operacional da planta, avaliam Alexandre Becker, coordenador de Projetos e Mercado e Álvaro Scarabelot, gerente de Gestão de Riscos e Inteligência de Mercado, ambos na ENGIE Soluções.

Otimizar dimensionamento da infraestrutura

Para o diretor-presidente da ENGIE Brasil Energia, Eduardo Sattamini, o PLD horário permite melhorar o dimensionamento da infraestrutura do setor. Pelo lado da oferta, por exemplo, é possível gerar energia dentro do horário no qual a maior demanda acontece.

PLD tem impactos até fora do setor

As causas e efeitos do novo PLD, contudo, não se restringem ao setor elétrico. A avaliação é de um grupo de trabalho da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP), do Ministério de Minas e Energia. Entre os benefícios apontados pelo grupo estão “novos serviços para consultorias (como estudos sobre o comportamento da carga, avaliação de impacto do PLDh). O texto cita, ainda, o “aprimoramento de serviço no setor de tecnologia (‘internet das coisas’, banco de dados)” e “novos produtos financeiros (hedges customizados a diferentes perfis de risco)”.

Aumento da complexidade de gestão de quem compra energia

Os consumidores livres terão um maior grau de complexidade na compra de energia, uma vez que haverá diferentes preços para diferentes horários de consumo. Isso vai requerer uma gestão mais detalhada dos processos empresariais e onde é possível ter otimizações.