Por Rose em 25/03/2021

As fontes de energia renovável são cada vez mais importantes no país. No Brasil, o setor de energia eólica atingiu em fevereiro a marca de 18 GW de capacidade instalada, em 695 parques eólicos e mais de 8.300 aerogeradores. Já a geração solar (fotovoltaica) está distribuída, atualmente, em 4.440 plantas, respondendo por 8% da potência total do país, se considerados todos os projetos em operação, em construção e planejados. 

Os dados são, respectivamente, da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e vão de encontro aos resultados de um estudo do Fórum Econômico Mundial, em parceria com a Accenture. Segundo o levantamento, nos próximos cinco anos, os investimentos da indústria de energia solar e eólica podem gerar mais de 1,2 milhão de novos empregos, além de reduzir a emissão de gases de efeito estufa.

O Fórum Econômico Mundial é um evento que acontece anualmente, sempre no fim do mês de janeiro, em Davos, na Suíça. Neste ano, em função da pandemia, aconteceu de forma virtual.

Brasil ocupa o terceiro lugar em energia renovável

No ranking global de fontes alternativas de energia, incluindo bioenergia, eólica, solar, hidrelétrica e geotérmica, o Brasil está na terceira posição, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. 

No caso da energia fotovoltaica, o país está entre os 20 maiores produtores e tem potencial para avançar ainda mais, dada a extensão territorial e a quantidade de insolação. Na energia eólica, o Brasil é o sétimo país com maior capacidade instalada, o que significa que mais de 28 milhões de residências brasileiras recebem energia limpa todos os meses.

Vale destacar que ambas formas de geração podem ser usadas em uma mesma planta. Em muitos parques eólicos, a energia solar passou a ser um complemento importante, com a instalação de painéis abaixo dos cataventos. Dessa forma, o aproveitamento da área é total. Essa é uma alternativa interessante principalmente na região nordeste, que tem forte incidência de sol, com vento mais forte durante a noite.

Estímulos às energias eólica e solar reduzem custos e melhoram serviços

O aumento da participação dessas fontes de geração limpa vem sendo impulsionado por vários fatores:

  • necessidade de reduzir emissões de gases de efeito estufa e a proteger as comunidades dos efeitos das mudanças climáticas;
  • diversificação de fontes de geração por grupos tradicionais do mercado de combustíveis fósseis;
  • perspectiva de aumento do mercado de baixa tensão, com a geração distribuída.

Com o desenvolvimento dessas fontes, a perspectiva é de que, além de novos empregos, o custo e a eficiência dos serviços se tornem mais interessantes. O relatório do Fórum Econômico Mundial destaca que “a competição para o usuário final provavelmente aumentará a qualidade dos serviços oferecidos, o que possivelmente incentivará o aprimoramento de toda a cadeia de valor”.

Importante acrescentar que as mudanças e evolução do mercado livre de energia também devem trazer muitas oportunidades para quem deseja investir no mercado. O desafio, no entanto, será a transformação das empresas e a disseminação de uma nova cultura, que preze pela sustentabilidade.