Por Redação em 17/02/2021

Dados divulgados recentemente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) sobre o consumo de energia elétrica no Brasil em 2020 confirmam a solidez do ambiente livre de contratação. Na contramão da média brasileira – que registrou queda de 1,5% no consumo ao longo do ano – o Mercado Livre de Energia obteve 2,8% de incremento.   

O Mercado Regulado – no qual consumidores são atendidos pelas distribuidoras de energia – sofreu retração de 3,4%. De acordo com a CCEE, o resultado se deve à expressiva migração dos consumidores para o Mercado Livre – que fechou o ano com 1.522 novos agentes e 5.239 unidades consumidoras adicionais.  

A migração se justifica pelas vantagens oferecidas aos clientes livres: maior poder de escolha, flexibilidade de contratação e menor preço são algumas delas. Além disso, é possível assegurar a compra de energia no curto, médio e longo prazo, já prevendo as despesas com energia no período do contrato, o que facilita a gestão financeira.  

O estudo divulgado pela Câmara também indica os segmentos com maior volume de migrações para o ambiente livre: Saneamento (113%), Transporte (46%), Comércio (46%) e Serviços (41%). Quanto ao consumo por segmento, empresas do setor de saneamento foram responsáveis pela maior alta: 24%.  

ambiente de contratação livre: consumo acl
Fonte: CCEE 
 Fonte: CCEE 
Fonte: CCEE