Por Redação em 10/06/2021

A edição de 2021 do estudo Sustentabilidade Brasil, realizado pela Agência Arte da Marca, confirma que os brasileiros valorizam cada vez mais as empresas com ações sociais e ambientais efetivas. O levantamento ouviu 1.054 pessoas, de forma online, e elas representam qualitativamente a massa de 133,8 milhões de brasileiros com acesso à internet.

Para 67% dos respondentes, as empresas e marcas que se preocupam com o clima e a redução de emissões de carbono têm mais valor.

Percentuais altos mostram preocupação prática com ESG

A reutilização da água também é crítica para 68% dos consumidores entrevistados. Eles estão em consonância com o fato de que a indústria deve aumentar a demanda por recursos hídricos em 400% até 2050, se nada for feito, gerando um déficit de 40% de água para o consumo diário mundial já em 2030.

Outro ponto importante de responsabilidade ambiental apontado na pesquisa é o reaproveitamento do lixo. Para 68%, as empresas e marcas que cuidam do lixo industrial têm mais valor. A Agência Arte da Marca classifica como lixo industrial tudo aquilo que é produzido nas indústrias durante o processo produtivo. Ela cita as empresas de bens de consumo, alimentos, petroquímicas, mineração, químicas, metalúrgicas, plástico, borracha, papel, tecidos e gases industriais como as que mais geram esse tipo de resíduo.

A importância do ESG em todas as esferas

Os valores éticos são percentualmente os de maior preocupação entre os entrevistados, mostrando que os preceitos de Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG) devem mesmo ganhar força sistematicamente daqui em diante. Para 81%, por exemplo, há mais valor nas empresas que não utilizam trabalho escravo ou infantil, enquanto que para 73% é fundamental que as empresas e marcas não estejam envolvidas em escândalo de corrupção.

O Brasil, que é a 12ª economia do mundo, ocupou a 106ª posição no Índice de Percepção da Corrupção, desenvolvido pelo Estudo da Transparência Nacional, do G1. “A corrupção é uma questão endêmica no Brasil e que tem prejudicado a imagem do país e das empresas brasileiras”, diz a pesquisa

Amostra da Pesquisa

O estudo ouviu pessoas de todas as regiões do país, sendo que a maioria (47%) estava no Sudeste. Nacionalmente, os respondentes moravam majoritariamente em capitais e regiões metropolitanas (51% e 22%, respectivamente), e a metade foi classificada como pertencentes à classe social B.

A margem de erro da pesquisa é de 2,8% e cerca de 90% dos entrevistados disseram esperar mais divulgação sobre práticas de ESG e dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU.

Veja quais são os 17 ODS da ONU:

1. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares
2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
3. Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
4. Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas
6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos
7. Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos
8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos
9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação
10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles
11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis
12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos
14. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável
15. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade
16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis
17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável