Por Redação em 24/07/2020

Entenda as diferenças entre ser consumidor se tornando um agente da CCEE (conhecido como Atacadista) e consumidor na modalidade Varejista.

No Mercado Livre de Energia, o comercializador varejista, por norma, ao representar seus consumidores, deve registrar os contratos firmados junto à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) – a qual possui uma importante representatividade no setor elétrico quanto aos direitos e obrigações de seus agentes, isto é, empresas que atuam nas áreas de geração, distribuição e comercialização de energia no Brasil.

Comercializador Varejista x Atacadista

Na condição de consumidor Atacadista, a empresa contratante se associa diretamente à Câmara (entidade responsável por operar o Mercado Livre de Energia). Logo, torna-se um agente da CCEE, atuando de acordo com regras e procedimentos, o que inclui a necessidade de obter adequação comercial, apresentar garantias financeiras e estar exposto aos riscos – especialmente no mercado de curto prazo. Por isso, essa modalidade costuma ser mais recomendada para organizações de grande porte e que preferencialmente já tenham experiência no Mercado Livre.

Já a modalidade Varejista possui este nome pois, a ENGIE, fica responsável pela intermediação e obrigações com a CCEE. Portanto, é ideal para empresas que buscam por mais facilidade na adesão, na operação e que esperam economizar sem se preocupar, pois dispensa a associação junto à CCEE, simplificando o processo e diminuindo burocracias.

Nesse formato de contratação, o cliente se relaciona apenas com a ENGIE (comercializadora varejista), que se responsabiliza por representá-lo junto à Câmara, cuidando de todas as obrigações. Empresas com grande quantidade de unidades consumidoras e que ainda não tenham experiência no Mercado Livre de Energia também se beneficiam na modalidade através da Comunhão de Cargas.

Confira o vídeo abaixo e entenda como funciona a operação de Comunhão de Cargas no Mercado Livre de Energia:

Entenda as vantagens do Mercado Livre de Energia na modalidade Varejista

Antes de uma empresa optar pela modalidade varejista, é importante fazer uma análise do contrato atual com a distribuidora no Mercado Cativo. Compreender se os preços da energia vão de acordo com o perfil de consumo, se está suprindo a demanda e, principalmente, se os custos compensam.

Deste modo, é possível visualizar a viabilidade de migração para o Mercado Livre de Energia – condição que oferece mais possibilidades de descontos. A comercializadora varejista pode auxiliar a sua empresa nesse entendimento. Com a ENGIE, por exemplo, você tem à disposição um time de especialistas para identificar se a sua empresa é elegível. Para saber mais como funciona o Mercado Livre de Energia, clique aqui.

Abaixo, você confere algumas das vantagens ao contratar a ENGIE como sua representante:

  1. Ao contratar a ENGIE como comercializadora varejista, sua empresa não precisa realizar a associação junto à CCEE, pois agora você conta com uma representante, a qual assume suas responsabilidade de representação perante a legislação;
  2. Não há necessidade de apresentar garantias financeiras para a contratação;
  3. Não precisa fazer gestão mensal de sobras e déficits de energia na CCEE, como ocorre com consumidores atacadistas.

Se há tantas vantagens na modalidade Varejista, por que ainda há empresas grandes que escolhem se tornar consumidor Atacadista?

Para empresas de grande porte (acima de 1MWm de consumo de energia) e/ou acostumadas com o funcionamento do Mercado Livre de Energia, ser um consumidor Atacadista é também assumir as responsabilidades e obrigações impostas pela Câmara, além de possíveis instabilidades no setor (variação de preços, por exemplo). Normalmente essas empresas dispõem de uma equipe interna e especializada, capaz de conduzir esse relacionamento com a CCEE, além de assumir a operação e garantir sua funcionalidade, ou contratam uma gestora para realizar este serviço.

No entanto, um Atacadista, apesar da oportunidade de redução de custos, está mais exposto aos riscos e encargos que são cobrados dos consumidores atacadistas. É neste ponto que uma comercializadora varejista apresenta maiores vantagens por oferecer simplicidade no processo, menos burocracia e garantia de uma grande empresa representando o consumidor no Mercado Livre.

Um exemplo disso é a nova solução E-conomiza, da ENGIE, que promove uma economia de até 15% nos custos com energia elétrica através da adesão simplificada ao Mercado Livre e com a segurança de ser representada na Câmara pela maior Comercializadora do país. Descubra mais detalhes sobre essa novidade nos próximos tópicos.

Comercializador varejista facilita atuação de empresas junto à CCEE

O comercializador varejista – regulamentado desde 2015 – tem o papel de simplificar a adesão ao Mercado Livre de Energia, facilitando a atuação de empresas de menor porte dentro desta modalidade. Portanto, a ENGIE, por ser uma comercializadora varejista, pode representar consumidores livres e geradores em plena conformidade com a CCEE.

De acordo com as regras vigentes no mercado, o comercializador varejista é responsável pela operação da energia comercializada para seus clientes (consumidores livres e especiais), incluindo a distribuição dos custos. Sua competência, perante a Câmara, relaciona-se com as condições estabelecidas na Convenção de Comercialização de Energia Elétrica, bem como nas Regras de Comercialização, nos Procedimentos de Comercialização e em todos os documentos e normas aplicáveis.

Uma das vantagens para a empresa, ao contratar uma comercializadora varejista para representá-la frente ao Mercado Livre, é dispensar a sua respectiva associação à Câmara de Comercialização. Deste modo, a empresa não fica exposta ao Mercado de Curto Prazo, obtém redução de gastos administrativos, cumpre com rigor os prazos dentro da CCEE, além das obrigações setoriais, as quais ficam sob responsabilidade de sua representante.

Resolução Normativa 570 impulsiona atuação do comercializador varejista: entenda as obrigações e vantagens

A única preocupação para quem tem interesse em se tornar um consumidor livre deve ser a escolha de uma comercializadora de energia que cumpra, com confiança e comprometimento, as suas obrigações no setor.

O principal objetivo de quem busca este perfil de agente, é justamente a função da comercializadora em garantir economia de energia, bem como a funcionalidade da modalidade e seus requisitos – os quais podem ser vistos como burocráticos diante das exigências. De fato, existem pormenores e riscos que a sua empresa não deseja se preocupar, já que a comercializadora varejista existe para facilitar todo o processo.

Além disso, existe a Resolução Normativa 570, a qual impõe os requisitos e procedimentos atinentes à comercialização varejista de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional – SIN. Portanto, é obrigação da comercializadora honrar com a legislação imposta. O consumidor, por sua vez, tem o direito e dever de exigir da sua representante o cumprimento das normas.

Um exemplo na prática e que resume o entendimento da legislação: a ENGIE, como comercializadora varejista no Mercado Livre de Energia, fica responsável por toda a operação de seus representados, desde a adesão simplificada para o Ambiente de Contratação Livre – ACL até a gestão da operacionalização (medição, contabilização, modelagem, entre outros).

Banner de acesso para campanha E-conomiza ENGIE

Nova solução no mercado garante ainda mais economia e facilidade na migração para o Mercado Livre de Energia

A ENGIE tem o compromisso de sempre inovar, garantindo os resultados para seus consumidores livres. Sendo líder no setor, anuncia uma nova solução para quem deseja migrar para o Mercado Livre de Energia e aproveitar todos os seus benefícios. Conheça E-conomiza – a solução para sua empresa economizar energia.

Com E-conomiza há garantia de uma economia de até 15% na conta de energia elétrica através de um contrato simplificado, e com todo o respaldo de especialistas no que diz respeito ao processo migratório e demais especificações de adesão. Certamente uma vantagem para empresas que são elegíveis para esta modalidade e que procuram por uma expressiva redução de custos de forma simples e sem dores de cabeça.

Para mais informações sobre a nova solução ENGIE ou para saber se a sua empresa se enquadra nos requisitos para adesão da E-conomiza, preencha o formulário que entraremos em contato para apresentar todas as vantagens.