Por Redação em 05/11/2020

O volume de consumidores que negociam energia no mercado livre cresceu 22% em setembro na comparação com o mesmo período do ano anterior. Na análise da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o resultado é reflexo principalmente do crescimento de 23,8% no número de consumidores especiais. O volume de consumidores livres, por sua vez, cresceu cerca de 10,2%. Os cálculos já descontam os agentes desligados no período.

Ao final do mês, o ambiente de contratação livre (ACL) contava com 8.247 agentes das classes de consumo, frente a 6.759 em 2019, conforme dados da instituição. Segundo a CCEE, a média mensal de adesões de 2020 continua sendo a maior desde o recorde registrado em 2016. São 150 novas migrações do mercado regulado todos os meses.

Somente em setembro, o número de processos em andamento para adesão ao mercado livre cresceu 44% na comparação com o mesmo período do ano passado. No mês, foram registrados 1.049 processos de migração, sendo a maior parte de consumidores especiais.

O volume de unidades consumidoras cresceu junto com o número de agentes atuando no ACL. O mês passado se encerrou com 19.733 cargas com contratos no mercado livre, um aumento de 31,2% em relação a setembro de 2019.

Raio-X das adesões ao mercado livre

No acumulado do ano, de janeiro a setembro, a CCEE ganhou 1.532 novos associados, sendo 1.257 consumidores especiais e 92 livres. Também foram registradas 52 novas comercializadoras e 124 produtoras independentes de energia. Seis autoprodutores e um gerador a título de serviço público estão nesta lista.

Do total de consumidores que aderiram ao mercado livre em setembro, 121 possuem carga de até 1 MW, dos quais 19 são autorrepresentados e 102 contam com representantes. Outros 24 possuem carga entre 1 MW e 1,99 MW e sete têm carga superior a 2 MW. O ramo de Serviços foi o que registrou o maior percentual de adesões.

Ao final do mês, eram 25 os comercializadores varejistas habilitados para atuação. Outras 28 solicitações estão sob análise.