Por Redação em 17/11/2020

Classificada entre os principais custos operacionais de diversas empresas – em muitos casos perdendo apenas para despesas com pessoal –, a energia elétrica representa um fator fundamental para assegurar competitividade aos negócios. Em um cenário de margens cada vez mais apertadas, a busca por soluções que impulsionem tanto a eficiência no uso do insumo quanto a redução das tarifas pagas deixou de ser opcional, tornando-se um pré-requisito ao controle de caixa.

Com crescimento superior a 20% ao ano, o Mercado Livre de Energia tem se mostrado uma solução eficaz nesse sentido. Ao permitir a negociação direta entre consumidores e geradoras ou comercializadoras, oferece tarifas mais atrativas – em virtude da livre concorrência – além de flexibilidade na contratação e previsibilidade de custos, entre outras vantagens. “Nesse ambiente, as empresas consumidoras podem ter sua demanda atendida de forma segura e confiável, com base em um modelo de parceria orientado ao crescimento sustentável, para, além de reduzir custos, fazer frente a desafios ambientais”, explica o diretor de Comercialização de Energia da ENGIE, Gabriel Mann dos Santos.

A contribuição ao meio ambiente está vinculada à possibilidade de os consumidores livres optarem por fontes renováveis, tendo sua demanda de energia suprida por usinas hidrelétricas, eólicas ou fotovoltaicas. Para agregar ainda mais sustentabilidade, essa escolha pode ser combinada com outras soluções para neutralização, compensação ou redução de emissões de carbono oferecidas pela ENGIE.  Exemplos disso são os Certificados de Energia Renovável (I-REC), os Contratos de Energia Renovável (ENGIE-REC) e os Créditos de Carbono. Para saber mais sobre essas soluções, clique aqui.

Como funciona

Criado em 1995, o Mercado Livre de Energia é um ambiente especial de negociação, no qual vendedores e compradores podem negociar energia elétrica livremente entre si, em conformidade com a regulamentação do setor. Com maior poder de escolha, o consumidor livre define a quantidade de energia a ser adquirida conforme o perfil de consumo de sua empresa, negociando o período de fornecimento e o preço praticado, por exemplo.

Outra vantagem está na possibilidade de assegurar a compra de energia no curto, médio e longo prazo, já prevendo as despesas com energia no período do contrato, o que facilita a gestão financeira. Essas características diferem o Mercado Livre do chamado Mercado Cativo, no qual os consumidores têm papel mais passivo, visto que a energia é fornecida exclusivamente pela distribuidora, com tarifa e demais condições de contratação reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Migração facilitada

Para estender os benefícios do Mercado Livre entre empresas de pequeno e médio porte, a ENGIE lançou recentemente uma solução que, além de garantir até 15% de economia na fatura mensal de energia, elimina a burocracia do processo de migração, tornando a compra de energia mais ágil e descomplicada. O E-conomiza tem como foco empresas com consumo de até 1 MWm – o que equivale a faturas de energia que se aproximem dos R$ 40 mil mensais, mesmo que somando o consumo de diferentes unidades da empresa. 

Outra vantagem está na possibilidade de adquirir energia incentivada, a partir de fontes renováveis, o que agrega sustentabilidade às operações do cliente. “O E-conomiza é a solução ideal para empresas que não possuem uma equipe ou estrutura interna robusta para realizar gestões mais sofisticadas de energia, e que querem reduzir as suas contas ao final de cada mês sem precisar fazer investimentos”, destaca Mann.

Na solução do E-conomiza todo o processo da migração conta com o apoio dos profissionais especializados da própria ENGIE, bem como a gestão operacional da sua empresa no Mercado Livre. Assim, a única responsabilidade do cliente é pagar duas faturas mensais – uma para a ENGIE, referente ao fornecimento, e outra à distribuidora local, relativa à infraestrutura de transmissão e distribuição da energia até a empresa.


Pioneirismo e solidez

Atuando no Mercado Livre de Energia há duas décadas, a ENGIE é a maior comercializadora do país e pioneira no atendimento sistemático a esse segmento. “A posição de maior geradora e comercializadora privada do país, aliada à experiência em ambientes de contratação livre de energia, no Brasil e no mundo, torna a ENGIE uma parceira sólida, que prima pela sustentabilidade e pelo atendimento ágil aos clientes”, destaca Mann.

No Brasil, a ENGIE fornece mais de 2.500 MW médios a consumidores livres dos diversos setores da indústria, comércio e serviços, atendendo a cerca de 700 clientes, de diferentes grupos empresariais.

Conheça mais