Por Redação em 21/04/2020

As principais empresas de petróleo e gás da Europa estão mirando o mercado de energia renovável, principalmente o mercado solar fotovoltaico. Petroleiras como a Total, BP, a Galp e a Shell podem figurar entre as doze principais geradoras de energia solar, na opinião de Tom Heggarty, analista de transição energética da Wood Mackenzie.

Segundo o site Green Tech Media, os investimentos da  indústria de óleo e gás no setor de energia solar podem provocar uma mudança drástica nos próximos 12 meses em relação aos principais players, conforme Heggarty.

A francesa Total, controladora da SunPower,  já tinha cerca de 3 GW em ativos de fontes renováveis, antes de ampliar seu portfólio em geração de energia fotovoltaica para 2,1 GW, em fevereiro, o que representa  uma posição entre os maiores players do segmento. Em janeiro, a empresa anunciou que vai construir uma usina solar de 800 megawatts no Qatar. Em fevereiro, divulgou investimentos na Espanha em projetos de energia solar de 2 GW.

Até 2050, a BP pretende zerar as emissões líquidas de carbono e projeta ampliar seus ativos em energia solar com a instalação de 10 GW até 2023. A Shell também está expandindo seus investimentos no mercado fotovoltaico nos Estados Unidos e Austrália. A Equinor, grupo norueguês de petróleo e gás, possui aproximadamente 15% da empresa fotovoltaica Scatec Solar, que tem 1,9 GW de capacidade de operação.

Os investimentos de diferentes empresas de petróleo e gás no mercado fotovoltaico são motivados pelo segmento ser pulverizado. As dez principais empresas do setor detêm cerca de 10% dos 600 GW em capacidade instalada no mercado mundial.

Petróleo continuará a ser negócio principal

Enquanto as maiores petrolíferas internacionais investem em energia limpa, a Petrobras anunciou que não vai adotar a mesma estratégia. Segundo o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, em entrevista ao Estado de São Paulo, há muito marketing e poucas ações de fato das grandes petroleiras globais na área de renováveis.

É importante lembrar que o negócio principal dessas empresas continuará sendo o petróleo. A diversificação dos investimentos vem da identificação de uma demanda crescente de consumidores por energia advindas de fontes renováveis. Sobretudo para atender os compromissos firmados pelos países para redução das emissões.

Sobre a ENGIE

A ENGIE é a maior empresa privada de energia do País, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas e de infraestrutura. Além disso, a empresa está engajada proativamente em tornar-se líder na transição energética rumo a uma economia de baixo carbono. No mercado global, a empresa também é uma das líderes deste segmento, sendo referência em energia renovável e serviços de baixo carbono.

Saiba mais