Por Redação em 21/05/2020

Ampliar os investimentos em fontes renováveis de energia ou buscar reduzir as emissões de efeito estufa pode representar um caminho sustentável no pós-crise da Covid-19. Este pode ser momento para as empresas reavaliarem as suas escolhas energéticas no rumo da transição energética para uma economia de baixo carbono.

O Brasil é um dos países signatários do Acordo de Paris e comprometeu-se em reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 43% até 2030 em relação a 2005. Sendo assim, o momento atual pode se transformar em oportunidade para as empresas buscarem fazer uma gestão mais eficiente em energia. E elas farão isso com adoção de fontes renováveis no período pós-pandemia, indo ao encontro das metas de descarbonização do país.

No mercado global, a ENGIE é uma das empresas líderes em transição energética.  A companhia oferece apoio para as companhias de diferentes portes que buscam minimizar as suas emissões de gases de efeito estufa por meio de soluções  de baixo carbono. Neste campo, há um leque de opções que se adaptam às necessidades de cada companhia.

No Brasil, com o vasto potencial de recursos naturais, muitas empresas têm buscado a instalação de painéis solares para geração e consumo próprio de energia. Da mesma forma, outras fontes renováveis, como a eólica, hidrelétricas e biomassa, vêm sendo adotadas.

ENGIE auxilia empresas a fazerem melhores escolhas energéticas

Há também outras soluções que estão alinhadas com os pilares da sustentabilidade para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, para empresas que buscam compensar suas emissões com a compra dos créditos de carbono.

No país, a compra de créditos de carbono é uma iniciativa voluntária por parte das empresas, não existe uma obrigatoriedade legal. Porém, aquelas que adotam metas de descarbonização, ganham maior visibilidade e credibilidade no mercado. Cada crédito adquirido corresponde a uma tonelada de CO2 que deixou de ser emitida na atmosfera, o que contribui para a diminuição do efeito estufa.

Outra solução para as empresas no rumo da descarbonização é a substituição de fontes de energia fósseis por renováveis por meio de contratos no mercado livre de energia. É exatamente como funciona o ENGIE-REC, que é um contrato de fornecimento de energia no mercado livre que garante 100% da fonte renovável (como usinas hidrelétricas, eólicas, solares), sem emissão de gases de efeito estufa.

A ENGIE também tem outra forma de compensar as emissões por meio de  certificados internacionais de energia renovável (I-REC – International Renewable Energy Certificates). Os I-REC são títulos que comprovam que a eletricidade consumida é proveniente de fonte renovável. No entanto, eles não precisam necessariamente estar vinculados a um contrato de fornecimento de energia específico, diferentemente dos contratos do mercado livre.

Com os I-RECs, as empresas podem neutralizar as emissões correspondentes ao Escopo 2 (emissões pelo consumo de energia) dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa, além de poderem declarar  no Programa GHG Protocol.

 

Sobre a ENGIE

A ENGIE é a maior empresa privada de energia do País, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas e de infraestrutura. Além disso, a empresa está engajada proativamente em tornar-se líder na transição energética rumo a uma economia de baixo carbono. No mercado global, a empresa também é uma das líderes deste segmento, sendo referência em energia renovável e serviços de baixo carbono.

Saiba mais