Por Redação em 10/02/2021

A ENGIE e a Total formaram uma parceria para desenvolver, construir e operar o maior projeto de fabricação de hidrogênio verde da França. Este tipo de hidrogênio usa apenas energias renováveis em sua produção e é visto como uma peça-chave para a transição energética.

O projeto, anunciado em janeiro, ficará na região sul da Provença-Alpes-Costa Azul, dentro de uma biorrefinaria da Total. O equipamento de eletrólise de 40 MW deve produzir cinco toneladas de hidrogênio verde por dia. O combustível vai suprir o processo de produção de biocombustível da refinaria da Total. Assim, será possível evitar a emissão de 15 mil toneladas de CO2 por ano.

Como a fonte de energia para a eletrólise — processo que produz o hidrogênio — é solar, a unidade terá também uma solução para gerenciar a produção e o armazenamento do hidrogênio. Assim, será possível contornar a questão da intermitência da energia solar de modo a não comprometer o fornecimento de hidrogênio para a refinaria.

Produção de hidrogênio na unidade da ENGIE e Total pode chegar a 15 toneladas diárias

No entanto, a produção de hidrogênio pode ser ainda maior, porque ENGIE e Total podem ampliar as fazendas de renováveis. Desse modo, a produção de hidrogênio verde no local pode alcançar 15 toneladas diárias.

Para Philippe Sauquet, presidente de Gás, Renováveis & Energia na Total, a parceria permite que o setor de hidrogênio se desenvolva e que as empresas se tornem líderes na área. Isso tudo “graças a esse projeto conjunto, industrial e internacionalmente reproduzível”.

A produção do hidrogênio combustível exige energia, e esta pode vir de diversas fontes. Assim, o produto recebe a denominação de uma cor, conforme a origem dessa energia. No caso do cinza, por exemplo, ele é produzido a partir de combustíveis fósseis. Já o hidrogênio verde usa fontes renováveis que não emitem poluentes.