Por Redação em 16/02/2021

Os recursos da iniciativa Estímulo 2020, para auxiliar pequenos empreendedores afetados pela pandemia, agora estão disponíveis para todo o Estado do Rio de Janeiro — e não mais apenas para capital e Região Metropolitana. O projeto tem participação de empresas como a ENGIE e dá apoio a empreendedores com faturamento mensal entre R$ 10 mil e R$ 400 mil.

Com mais pessoas em casa em função de medidas de isolamento social, muitas pequenas empresas viram seu faturamento cair. Além disso, até em função de seu tamanho, algumas sequer contavam com reservas que pudessem amortecer esse impacto, o que as colocou em situação de fragilidade.

O fundo é o primeiro com 100% de capital privado criado para ajudar os pequenos negócios a lidar com os efeitos da pandemia de Covid-19. Seus recursos somam R$ 6 milhões, mas há exigências a cumprir antes de poder pegar o empréstimo.

O empreendedor que quiser crédito, precisa comprovar que suas atividades existem há, pelo menos, dois anos. Além disso, precisa ter bom histórico de crédito, com todas as contas em dia. O valor máximo é o do faturamento bruto mensal da empresa. Sobre a cifra, incide 0,53% de juros, e o total pode ser parcelado em até 21 vezes. No entanto, há carência de até três meses para o pagamento da primeira prestação.

Como começou o projeto de apoio a empreendedores na pandemia

A iniciativa, contudo, não se limita à oferta de crédito. Ela inclui também ferramentas de capacitação em áreas como gestão, educação financeira, marketing digital, entre outras.

“As pequenas empresas são fundamentais para geração de renda e manutenção de empregos no Brasil. Nosso objetivo é fazer os recursos chegarem a quem precisa, com rapidez e sem burocracia”, disse, em comunicado, Eduardo Mufarej, idealizador do projeto.

O projeto começou em abril em São Paulo e foi se espalhando pelo Brasil. Desde agosto, ele já tinha ações no Rio, mas só na capital e na Região Metropolitana. Agora, contudo, abrange todo o estado, que passa a entrar para a lista onde já estão Minas Gerais e Ceará.

Para obter mais informações ou pedir o crédito, basta o empreendedor acessar o site do projeto.