Por Redação em 19/02/2020

O governador do sul da Austrália, Hieu Van Le, tem expectativa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50% até 2030, nesta região, de acordo com o Renew Economy. Para alcançar este feito, ele pretende dar continuidade à ampliação das fontes renováveis no país e às estratégias de transição para veículos elétricos, com estímulo aos carros movidos a hidrogênio.

Van Le destacou que este corte (50%) representa quase o dobro da meta nacional (entre 26% e 28%), declarada em 2005 pelo governo federal. Dessa forma, ele prevê uma contribuição de forma mais significativa nesta região em comparação aos demais estados.  

O governador do sul da Austrália tem uma visão oposta a outros membros do governo australiano. Van Le acredita que a melhor resposta aos efeitos das mudanças climáticas, como os incêndios florestais na Austrália, é garantir medidas práticas para redução de emissões sem aumentar os custos de energia e reduzir empregos.

“O agravamento e as condições mais prolongadas de seca e incêndio causam a preocupação de todos com a sustentabilidade do meio ambiente e da economia”, defendeu Van Le ao Renew Economy.

Visão divergente quanto ao corte de emissões

Essa visão não é compartilhada pelo primeiro ministro da Austrália, Scott Morrison, e seu ministro de Redução de Emissões, Angus Taylor. O receio desta ala mais conservadora é de que ampliar os esforços de redução das emissões dos gases de efeito estufa afetaria a economia, especialmente as exportações de carvão e gás.

O governo sul-australiano tem plano ousado para gerar 100% de energia renovável por volta de 2030, tornando-se um estado exportador de energia para outros estados.  São aproximadamente cerca de US$ 20 bilhões em investimentos em energia eólica, solar e armazenamento, aguardando a finalização do oleoduto.