Por Redação em 20/01/2021

A Agência Internacional de Energia Renovável (Irena) e o Banco Africano de Desenvolvimento assinaram um acordo de cooperação que visa alavancar a transição energética no continente africano. A parceria inclui iniciativas conjuntas de apoio a projetos de energia de baixo carbono e a organização de fóruns de investimento em energia renovável. A meta das duas instituições é mobilizar financiamento público e privado que viabilize a instalação de 10 GW de energia solar até 2025 em 11 países do continente africano.

O acordo também envolve atividades de capacitação e intercâmbio de conhecimento para desenvolvimento de estudos de caso de energia renovável. “Queremos aproveitar o enorme potencial de energia renovável da África”, afirmou o vice-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento para energia, energia, clima e crescimento verde, Kevin Kariuki.

Transição energética com energia renovável no continente africano

O relatório Global Renewables Outlook, da IRENA, lançado no início de 2020, revelou que a África Subsaariana poderia gerar 67% de sua energia a partir de fontes de energia renováveis até 2030. Uma análise mais aprofundada mostra que a transição energética aumentaria o  PIB (Produto Interno Bruto), melhoraria a qualidade de vida e teria o potencial de gerar até 2 milhões de empregos adicionais na região até 2050.

De acordo com o diretor-geral da IRENA Francesco La Camera, o continente africano tem alguns dos recursos de energia renovável mais abundantes do mundo e o potencial de transformar resultados para milhões de pessoas por meio da implantação acelerada de um sistema de energia baseado em energias renováveis.

“Nosso objetivo é alcançar o acesso universal a energia sustentável e moderna na África até 2030”, afirmou. “As energias renováveis ​​irão aumentar a segurança energética, criar empregos verdes, promover o acesso à energia, incluindo cozinha limpa, e ajudar a construir economias africanas resilientes”, acrescentou.

Para os executivos, o acordo de cooperação representa um marco para o desenvolvimento sustentável na África e da concretização dos objetivos do Acordo de Paris no continente africano.