Por Redação em 09/11/2020

A empresa francesa McPhy captou € 180 milhões para acelerar o desenvolvimento de tecnologias para a produção de hidrogênio verde. Diferentemente de outros tipos de hidrogênio, o verde não gera carbono em sua fabricação. A operação foi feita por meio de um aumento de capital com a participação de acionistas da empresa e investidores.

“O grupo está, mais do que nunca, bem posicionado para aumentar a escala e preparado para atender à crescente demanda por descarbonização da indústria”, disse o CEO do McPhy, Laurent Carme, em comunicado.

Fundada em 2008, a McPhy fabrica os equipamentos em que ocorre a eletrólise (produção) do hidrogênio verde e também postos para abastecimento com este tipo de gás. Ainda conforme o comunicado, ela vai usar os recursos para financiar diferentes frentes da empresa nos próximos 48 meses.

McPhy quer postos de hidrogênio com mais de 2 toneladas de capacidade

Entre essas frentes estão, por exemplo, o aumento da capacidade de produção da McPhy, a pesquisa e inovação para desenvolver soluções para projetos de grandes (com produção de mais de 100 megawatts).

Além disso, a empresa quer acelerar a tecnologia para postos de abastecimento de hidrogênio com grande capacidade — mais de 2 toneladas por dia. Ela também quer investir em vendas e marketing, para crescer em outros países. Outra parte desses fundos vai servir para capital de giro da McPhy.abastecimentoO hidrogênio é um combustível limpo cuja queima gera só vapor de água. Contudo, sua produção exige um alto gasto de energia. E essa energia é o que define se o hidrogênio será verde ou não. Ela pode vir, por exemplo, de combustíveis fósseis ou gás natural. Quando ela vem de fontes renováveis, como solar e eólica, então pode se considerar que o produto final é hidrogênio verde — uma vez que não houve emissão de carbono na cadeia.