Por Redação em 19/10/2020

No mundo todo, grandes  empresas já entenderam a importância da sustentabilidade para que seus negócios tenham sucesso. É crescente o número de companhias que adotam, por exemplo, metas para descarbonizar a sua cadeia de produção. E que, então, criam fundos para inovações na área. As falas de importantes executivos  refletem o compromisso das empresas com a sustentabilidade. Veja abaixo algumas dessas falas.

Brad Smith, presidente da Microsoft:

Brad SmithA Microsoft não quer só ser neutra em carbono, mas sim ser “negativa em carbono” até 2030. Para tanto, vai capturar carbono da ar. A posição foi reiterada pelo presidente da empresa, conforme a AP:

“Quando o assunto é carbono, a neutralidade não é o bastante.”

Roberto Marques, presidente-executivo do conselho e CEO da Natura & Co:

Conhecido por se engajar com temas de sustentabilidade, o grupo Natura & Co, dono de marcas como Natura, Avon e The Body Shop, anunciou um grande aporte na área. Serão pelo menos US$ 800 milhões em questões sustentáveis ao longo dos próximos dez anos. Ao Valor Econômico, o CEO do grupo resumiu:

“Não vai ter negócio em um planeta destruído”

Lisa Jackson, vice-presidente de meio ambiente, política e iniciativas sociais da Apple:

A Apple quer chegar a 2030 com neutralidade climática em todas as suas áreas de negócios, incluindo a cadeia de fornecimento e seus produtos. E, em meio a uma pandemia, o tema se torna ainda mais relevante, conforme disse à Vogue a vice-presidente de meio ambiente, política e iniciativas sociais da Apple:

“Você não pode ter justiça se você não tiver justiça ambiental. (…) A pandemia trouxe a justiça ambiental de volta para a frente [do debate]”

Maya Colombani, diretora de Sustentabilidade da L’Oréal Brasil:

Maya ColombaniOutra das empresas empresa conhecidas pelo seu engajamento com a sustentabilidade é a L’Oréal. Em 2020, a empresa foi reconhecida como líder mundial em sustentabilidade pelo quarto ano seguido. Sua diretora de sustentabilidade dá uma ideia da relevância do tema para os negócios do grupo:

“Para nós, como grupo L’Oréal, como líder, a sustentabilidade é tão importante quanto nossa performance econômica, e a sustentabilidade na L’Oréal Brasil está no coração de nossa estratégia”

Marc Tarpenning, engenheiro cofundador da Tesla:

Se os carros elétricos são vistos como o futuro do transporte, então a Tesla já nasceu com um pé na sustentabilidade. Um de seus fundadores, hoje fora da empresa, Marc Tarpenning ressaltou, em entrevista ao Globo, a importância da sustentabilidade para os negócios de qualquer companhia:

“Quando uma empresa faz algo que não é sustentável, significa que em algum momento ela terá que encerrar suas atividades. Então, todas as empresas devem analisar quais atividades são sustentáveis e quais não são”

Jeff Bezos, CEO da Amazon:

O fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos, tem usado seu poder econômico para, por exemplo, impulsionar as iniciativas sustentáveis. Ele criou, este ano, um fundo de US$ 10 bilhões para financiar cientistas, ativistas e organizações não governamentais. Em seu perfil no Instagram, Bezos explicou seu engajamento com a causa:

“A mudança climática é a maior ameaça ao nosso planeta. Eu quero trabalhar com ao lado de outros tanto para amplificar maneiras conhecidas como para explorar novas maneiras de combater o efeito devastador da mudança climática neste planeta que todos compartilhamos”

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook:

zuckerbergTambém no Facebook ser sustentável é uma meta. A empresa tem uma página dedicada só a esse tema. Nela, se compromete a, a partir de 2020, “alcançar o ‘zero líquido’ de emissões de gases do efeito estufa”. Além disso, diz que será “100% alimentada por energia renovável”. Na mesma página, o CEO da rede social defende, por exemplo, a união de todos em torno do tema:

“A mudança climática é uma crise que só seremos capazes de resolver se todos trabalharmos juntos em uma escala global”

Peter ter Kulve, presidente da divisão de Limpeza doméstica da Unilever:

A Unilever, por sua vez, diz buscar ser sustentável em várias frentes. Uma delas é a sua divisão de limpeza. A empresa vai investir € 1 bilhão em dez anos para substituir derivados de combustíveis fósseis em seus itens de limpeza e lavanderia. Em comunicado, o presidente da divisão explica:

“Como indústria, precisamos acabar com a nossa dependência de combustíveis fósseis, inclusive como matéria-prima dos nossos produtos. Devemos parar de bombear carbono de baixo da terra quando já há bastante no solo e acima dele, caso consigamos utilizá-lo em larga escala.”