Por Redação em 01/02/2021

A Organização das Nações Unidas (ONU) tem uma lista de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). As metas fazem parte da Agenda 2030, que estipulou aquele ano como data para que se alcancem esses objetivos. Um deles é o ODS 7, que defende energia limpa e acessível.

O ODS 7 visa garantir que todos tenham “acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia”. Isso é importante porque, com o crescimento da demanda por energia com o avanço do acesso a esse bem, é necessário que ela seja de fontes não poluentes. “Atender às necessidades da economia e proteger o meio ambiente é um dos grandes desafios para o desenvolvimento sustentável”, diz a Agenda 2030.

Por isso, o ODS 7 ressalta a importância das metas para a transição energética, deixando para trás as fontes não renováveis e poluidoras. Além disso, pede “especial atenção às necessidades das pessoas e países em situação de maior vulnerabilidade”.

O ODS da ONU sobre energia limpa se divide em metas menores, sempre com 2030 como horizonte. Uma delas é “assegurar o acesso universal, confiável, moderno e a preços acessíveis a serviços de energia”. No Brasil, em 2019, 99,8% da população tinha acesso à eletricidade, conforme dados do IBGE. De acordo com o instituto, em 2015  96,1% da população tinha acesso a combustíveis e tecnologias limpas — contra 96,8% no ano anterior.

Outra meta prevê que se aumente “substancialmente a participação de energias renováveis na matriz energética global”. Em 2019, as fontes renováveis representavam 46,1% da Oferta Interna de Energia (OIE).

ENGIE apoia movimento por ODS da ONU e tem fundo para energia limpa

Assim, engajada com a sustentabilidade, a ENGIE se tornou integrante e principal apoiador do Movimento Nacional ODS – Nós Podemos Santa Catarina.

Além disso, a empresa promove o Rassembleurs d‘Energies. Este é um fundo de investimento corporativo da ENGIE para promover o acesso à energia. Seu objetivo é combater a escassez energética de populações desfavorecidas, com foco em fontes renováveis. O fundo atua em projetos em quatro continentes com diferentes fontes, como biogás, biomassa e painéis solares, por exemplo. E busca, ainda, promover a eficiência energética.

Um exemplo do compromisso da ENGIE com a sustentabilidade são seus objetivos não financeiros. A empresa elaborou 19 metas para ampliar os impactos positivos da empresa na sociedade e trazer benefícios para o meio ambiente e para a população que vive no entorno de seus projetos. Esses objetivos estão alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Em 2020, a ENGIE apresentou três desses 19 objetivos não financeiros. Este ano, será a vez dos outros 16.