Por Redação em 16/11/2020

Para Carlos Delich, presidente do Grupo ZF na América do Sul, ônibus e caminhões elétricos são a tendência tecnológica que o segmento de veículos verá em breve.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o executivo explicou que as tecnologias para a produção de ônibus e caminhões elétricos já está disponível. “Em Londres os ônibus elétricos têm tecnologia (da) ZF”, observou. Para Delich, no entanto, é necessário o interesse de governos e clientes para adotar essas inovações.

Para ele, com a tendência para a eletrificação destes veículos pesados, essa mudança de fonte de energia “pode se tornar uma necessidade grande em um curto prazo”.

Estudos mostram que é importante ter transportes movidos a energia limpa. Este ano, no Fórum Econômico Mundial, estudos indicaram que as emissões de CO2 dos transportes podem crescer 250%até 2050 se não houver nenhuma mudança.

Condução autônoma só em 2030

Porém, o ritmo será diferente para os veículos sem motorista. Para Delich, essas tecnologias ainda não são acessíveis. “Acredito que em 2030 é que vamos ver veículos autônomos que realmente poderemos comprar”, previu. Delich acredita que estamos mais próximos de criar sistemas que deem suporte ao motorista. O executivo vê essas inovações como importante porque, além do conforto e da segurança para o motorista elas têm um fator econômico.

“Motoristas que trabalham descansados fazem melhor o seu serviço. E para que a mercadoria chegue a tempo, a segurança é um aspecto importante. Então, nesse caso, a condução autônoma deve ser pensada de modo a dar suporte a tudo isso”, explicou.

Ônibus e caminhões elétricos já são realidade, embora restrita

De fato, ônibus e caminhões elétricos já são uma realidade, embora ainda não atinjam um grande público. Há ônibus elétricos em uso em grandes cidades, como em Santiago, no Chile. Além disso, há opções de caminhões elétricos em fabricantes famosas, como Volvo e Scania.estacionamento para veículos elétricos

Enquanto isso, muitas empresas trabalham para criar e pôr na rua veículos pesados sem motorista. A Komatsu, por exemplo, já tem caminhões autônomos — embora no espaço restrito de áreas de mineração. O primeiro teste foi em 2005, e a operação comercial começou em 2008.

Já a start-up Einride quer ir um pouco além de espaços fechados. Seu Next Gen Pod é elétrico e 100% autônomo, e a empresa promete que duas versões dele podem começar a operar já no início de 2021 — uma delas com tecnologia para vias públicas. Mas a versão capaz de circular em alta velocidade em vias maiores só deve chegar no biênio 2022-2023.