Por Redação em 30/12/2020

A transição energética para uma economia de baixas emissões de carbono, mais digital e descentralizada é um processo contínuo. A afirmação é de Maurício Bähr, CEO da ENGIE Brasil. “Esse é um processo em curso e que, certamente, seguirá em uma rota de avanço e adaptações contínuas nos próximos anos, a depender de cada região e da disponibilidade de recursos, bem como decisões de governos “, avalia.

De acordo com o executivo, entre os desafios para a transição energética estão a própria pandemia, que alterou padrões de consumo, relações de trabalho e gerou forte impacto na economia, e a necessidade de conciliar interesses e demandas sociais ao redor do mundo.

“Nesse cenário, a ENGIE está no caminho certo”, afirma, ressaltando o propósito da companhia de agir para acelerar essa mudança, através do consumo reduzido de energia e de soluções mais sustentáveis, conciliando performance com um impacto positivo sobre as pessoas e o planeta.

Objetivos Não-Financeiros

“Desse modo, focados em energia renovável e infraestrutura para conectar os clientes à energia renovável, entendemos que a descarbonização da economia é um caminho sem volta e no qual a ENGIE está totalmente inserida, com a oferta de produtos e serviços que ajudem nossos clientes a cumprir essa jornada nos próximos anos”, afirma.

Segundo Bähr, em 2021 a ENGIE irá reportar para seus stakeholders o atingimento dos chamados Objetivos Não-Financeiros 2020, bem como divulgar os Objetivos para 2030. “São objetivos ambiciosos, que envolvem nossos colaboradores, clientes e fornecedores”, afirma o executivo.