Por Redação em 22/01/2021

O PLD horário — com cálculo por hora no preço da energia no mercado de curto prazo — deve reduzir os encargos nas contas. A avaliação é de Talita Porto, vice-presidente do Conselho de Administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Além disso, ela explica como a CCEE se preparou para a migração para o novo cálculo, que entrou em vigor no dia 1º de janeiro.

O preço horário ia entrar em vigor em janeiro de 2020, por que isso só aconteceu em 2021?

A Cpamp (Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico) fez uma adoção em fases. A ideia era que o PLD Horário entrasse em vigor em janeiro de 2020. Mas, na adoção em fases, em janeiro de 2020, o operador do sistema, que é o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), começou a usar o modelo horário para fins de despacho. E, desde janeiro de 2021, a Câmara utiliza para fins de contabilização e liquidação.

Quais vantagens esse adiamento trouxe?

O adiamento foi fundamental para a gente ter um período de transição. Foram necessárias muitas informações para que o mercado se preparasse. Então, o que nós fizemos na CCEE: temos quase dois anos de dados consistentes de preço horário e também de contabilização utilizando esse preço horário para que os agentes pudessem fazer suas avaliações e os impactos individualizados, porque também disponibilizamos os dados individualizados para cada agente.

Isso foi fundamental para que fizéssemos o simulador, que, claro, tem suas simplificações, mas é uma estimativa por segmentos e que permite que cada um faça suas avaliações. Fizemos também duas videoaulas, temos mais de 1.300 pessoas certificadas, criamos salas de dúvidas, plantões on-line com o pessoal da capacitação, painéis interativos.

Como a Câmara se preparou para o PLD horário entrar em operação?

A quantidade de dados com o PLD horário é muito grande. Hoje, a cada semana, são três preços — para as faixas pesada, média e leve. Vão ser 168, um para cada uma das 24 horas do dia, nos sete dias da semana. Então, o volume aumenta muito e tivemos que fazer uma adaptação na tecnologia.

E, desde outubro de 2020, fizemos, além da contabilização usando preço sombra, a operação piloto. Nessa operação, atuamos como se já fosse 2021, obedecendo a regra de  publicar o preço até as 20h para valer para o dia seguinte, usando os critérios de contingência para o caso de não conseguir publicar até as 20h. Além disso, publicamos aos sábados, domingos e feriados, que era algo que não fazíamos.

Qual é o impacto do PLD horário nos encargos?

Durante o período de operação sombra este ano, também fizemos uma avaliação do comportamento do encargo. Temos acompanhamento de janeiro a agosto. Quando comparamos este período ao mesmo período desde 2017, observamos uma redução muito significativa chegando a quase R$ 1 bilhão por período. Isso porque, com o PLD horário conseguimos antecipar as necessidades, aprimoramos o despacho termelétrico e a precificação, refletindo nos encargos.

PLD Horário

O PLD Horário entra em vigor em 1º de janeiro de 2021. A ENGIE presta um serviço especializado em gestão de energia, visando identificar as melhores oportunidades no mercado de energia. Nossas soluções integradas abrangem desde o planejamento energético, orçamento, planejamento de suprimentos em energia, consultoria econômico-financeira e regulatória em projetos de autoprodução de energia e sistemas de gestão.

Converse com nossos especialistas