Por Redação em 08/01/2021

Se os Estados Unidos têm o Silicon Valley, onde ficam as gigantes da tecnologia, os franceses querem ter o Zero Emission Valley, uma região com baixa emissão de poluentes. Para isso, a região de Auvérnia-Ródano-Alpes, no sudoeste da França, deu início a um projeto de mobilidade à base de hidrogênio.

O projeto — que é uma parceria da ENGIE com a Michelin — tem por meta fazer com que a região francesa seja líder de hidrogênio na Europa em 2023. Mas as duas gigantes francesas não estão sozinhas, o esforço conjunto tem a participação de órgãos públicos e do Crédit Agricole. Por trás de tudo está a Hympulsion, joint venture que vai instalar os equipamentos que vão produzir o hidrogênio verde e postos de distribuição do combustível.

Projeto terá carros a hidrogênio com preço de diesel

A ideia nasceu em 2017, a partir da união de ENGIE e Michelin para promover a mobilidade limpa na região. Dois anos depois, elas criaram a Hympulsion. A proposta das empresas é instalar 20 postos de hidrogênio em Auvérnia-Ródano-Alpes até 2023, diz a Michelin. De acordo com a ENGIE, é possível reabastecer os carros nesses postos em três minutos. O primeiro deles foi inaugurado em junho de 2020, em Chambéry.

Conforme dados de junho, a ENGIE Solutions está desenvolvendo e operando mais de 40 postos de hidrogênio na França, o que é uma amostra da experiência da empresa com mobilidade limpa.

Além disso, prevê a oferta de 1.200 carros com preços comparáveis aos de modelos a diesel. A compra dos veículos contará com um subsídio do governo de Auvérnia-Ródano-Alpes e da União Europeia.

Mobilidade a hidrogênio em leilões na França

De acordo com a ENGIE, o Zero Emission Valley é o primeiro projeto de mobilidade na França com uso de hidrogênio renovável e foco em frotas profissionais. Ainda segundo a empresa, sozinho, o projeto já vai responder por 25% dos veículos previstos no plano nacional de hidrogênio.

Diante da pressão por uma economia com menos carbono, considera-se o hidrogênio verde uma peça-chave nessa transição. Além disso, a Europa vem apostando em soluções verdes para estimular a economia. E a França não fica de fora. Recentemente, o país anunciou dois leilões de hidrogênio, incluindo, por exemplo, projetos de mobilidade, como parte de um pacote de fomento da economia pós-Covid.