Por Redação em 04/11/2020

Os executivos do setor do petróleo estão cientes de que a pressão pela redução das emissões de carbono será cada vez maior. Segundo executivos que participaram de debate on-line organizado pelo jornal Financial Times, o setor tem buscado se preparar para este novo cenário.

Para De la Rey Venter, vice-presidente executivo para iniciativas integradas de gás da Shell, as empresas têm de ir além de criar soluções. Segundo o jornal Valor Econômico, o executivo defendeu que as petroleiras devem  auxiliar os clientes e fornecedores a descarbonizar suas atividades. Ele vê, ainda, o gás natural com o importante papel de substituir o carvão na geração de energia.

“Há o receio de que o gás travará outras alternativas energéticas mais limpas, mas na verdade ele possibilita que outras fontes renováveis se desenvolvam”, disse. “Começaremos a substituir gás natural por hidrogênio, por exemplo, quando este estiver disponível e for competitivo”, completou.

Demanda e preço do petróleo e gás são incertezas

Já o CEO de evolução energética da petroleira italiana Eni, Massimo Mondazzi, chamou atenção para as incertezas no horizonte do mercado. Entre os fatores que causam dúvidas nos próximos anos estão, por exemplo, questões de demanda e preço do petróleo. Além disso, o surgimento de novas tecnologias que acelerem a transição energética gera dúvidas.

A importância dos investir em fontes alternativas foi lembrada por Giulia Chierchia, vice-presidente executiva de estratégia e sustentabilidade da BP. Para Chierchia, apostar nessas fontes é positivo pois diversifica o portfólio. Contudo, ressalvou que não se sabe como os investidores vão perceber este movimento.

“Não sabemos quanto tempo levará para os investidores nos recompensarem por estes esforços”, afirmou.

A executiva também acredita que, apesar do avanço da transição energética, óleo e gás vão seguir relevantes. Para ela, eles vão responder por no mínimo 40% da demanda global de energia nas próximas décadas.

Compromissos do setor de petróleo para reduzir emissões

Entre as empresas que anunciaram mudanças para lidar com as pressões da sociedade está a Shell. A companhia se comprometeu, em abril deste ano, a zerar suas emissões até 2050.

Também este ano a BP disse que quer que suas operações e produção de petróleo e gás sejam neutras em carbono até 2050. Além disso, quer reduzir em 50% o fator de emissão de carbono de seus produtos.