Por Redação em 23/06/2021

No início deste mês, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão do setor que monitora as condições de geração de energia no Brasil, divulgou uma nota técnica alertando para os níveis críticos de armazenamento, até o final do ano, dos reservatórios das usinas hidrelétricas que atendem as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. 

A crise hídrica e o consequente acionamento de usinas termelétricas devem elevar o custo da energia, acendendo o alerta dos consumidores quanto a acréscimos inesperados na fatura. Além das residências, isso afetará as empresas atendidas pelas distribuidoras, no chamado mercado cativo – no qual os clientes estão expostos às oscilações tarifárias e seu conhecido sistemas de bandeiras (verde, amarela e a temida vermelha, atual, que sinaliza tarifas em alta). 

Uma forma de reduzir os custos está na migração para o Mercado Livre de Energia, ambiente de contratação onde vendedores e compradores podem negociar energia elétrica livremente entre si. Isso permite que empresas consumidoras industriais, comerciais e de serviços contratem energia elétrica diretamente de empresas geradoras e comercializadoras. Entre as principais vantagens do ambiente livre está a economia significativa na fatura de energia. 

Economia garantida é uma das vantagens do ambiente livre

No Mercado Livre de Energia, a empresa cliente tem a opção de negociar a quantidade de energia conforme o perfil de consumo de suas operações, que pode variar ao longo do ano, adequando o período de fornecimento e o preço a ser praticado.  

Ao firmar contratos de longo prazo, é possível que a empresa obtenha economia na fatura já nos meses seguintes à contratação. Aos clientes da ENGIE que contratam a solução E-conomiza – oferecida a empresas de pequeno e médio porte – essa redução pode chegar a 20%.  Como o próprio nome sugere, a solução foi criada sob medida para entregar economia, junto à migração ágil e confiável  — confira no infográfico a seguir o passo a passo. 

Como migrar para o Mercado Livre de Energia

como migrar para o mercado livre de energia

Mercado Livre e Mercado Cativo

Mercado Livre   

Consumidores negociam livremente com diversos fornecedores de energia.

Dá poder de escolha ao consumidor, permitindo às empresas negociarem livremente as condições de suprimento de energia, assegurando o atendimento às necessidades atuais e futuras de seus negócios. 

 

Mercado cativo  

Consumidores se submetem às tarifas reguladas da distribuidora local.  

O cliente tem papel passivo, visto que a energia é fornecida exclusivamente pela distribuidora local, com a tarifa e as demais condições de contratação reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).